Sejam bem-vindos ao Camilla Luddington Brasil sua primeira, maior e melhor fonte de informações sobre a atriz Camilla Luddington, mais conhecida por interpretar Jo Wilson em Grey’s Anatomy! Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, entrevista traduzida, galeria de fotos, entre outros. O nosso site não é afiliado de maneira alguma com a Camilla, sua família ou seus representantes. Não somos a Camilla e não temos contato com a mesma. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e traduções pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos!

Hoje foi divulgado uma entrevista de Camilla Luddington para a 1883 Magazine onde a atriz contou sobre a 17º temporada de Grey’s Anatomy, Tomb Raider e mais. Confira:

A atriz britânica-americana Camilla Luddington permaneceu uma das favoritas dos fãs desde sua introdução como Dra. Jo Wilson na série de drama médico Grey’s Anatomy, da ABC, há nove anos.

À medida que a 17 temporada do programa vai ao ar, o retrato de Camilla da personagem resiliente continua a conquistar corações tanto quanto a própria atriz -que também é conhecida por dublar Lara Croft nos videogames Tomb Raider.

Encontrando alegria em interpretar “make believe” com seus diferentes papéis, Camilla, que descreve seu processo como “atriz de método de parceria”, conhece bem a personagem Jo por interpretá-la por tanto tempo, conectando-se particularmente com o enredo da personagem envolvendo sua mãe. Em conversa com 1883, Camilla, que conhece e perseguiu sua paixão por atuar desde a infância, aprofunda a jornada emocional de retratar um médico em uma temporada centrada na pandemia, falando do peso de querer representar com precisão as histórias dos trabalhadores da linha de frente. Ela também revela sua lista de desejos, papel de sonho, compartilha um conselho de peça para aspirante a atriz e muito mais.

Você mencionou em uma entrevista anterior como sua parte favorita da atuação é mergulhar na experiência e nas histórias de outras pessoas, fazendo “make believe”. Tenho certeza de que interpretar um médico durante uma pandemia te ensinou a ver as coisas de uma perspectiva muito diferente. Voltando ao papel de médico, sabendo tudo o que nossos trabalhadores da linha de frente têm feito, como era isso?

CAMILLA: Sim, geralmente é “make believe”, como você disse. É por isso que acho que esta foi a temporada mais difícil. Normalmente, as histórias se passam em um mundo diferente, eu poderia entrar no Seattle Grace, desempenhar meu papel e, no final do dia, voltar para casa no meu próprio mundo. Esta é a primeira vez que acho que todos nós vivemos quase essa história da vida real, onde o que está acontecendo no programa também está acontecendo em grande parte na vida real. Quando você está assistindo à incrível bravura dos trabalhadores da linha de frente nas notícias, e então você está tendo que ir e desempenhar esse papel, há um peso nisso. Você sente que tem que fazer certo com eles, deixando-os orgulhosos, e trazer suas histórias para a vanguarda. Foi talvez a temporada mais intimidante só porque sentiu que o mundo em exibição também era o mundo real. Queríamos representar o que realmente está acontecendo, dar essa plataforma para destacar os médicos, enfermeiros e trabalhadores essenciais que lidavam com uma pandemia e agradecer-lhes pelo que têm feito e pelo que continuam fazendo.

Tendo estado com a personagem Jo por tanto tempo, quanto de si mesmo você trouxe para Jo e, inversamente, quanto de Jo você absorveu para si mesmo se tivesse que pensar sobre isso?

CAMILLA: Acho que Jo é muito resiliente. Espero que isso seja algo que meio que eu tenha absorvido. Ela passou por tanta coisa, eu admiro sua força, e espero que ela também tenha se tornado parte de mim. Acho que o humor do personagem – o sarcasmo ou a secura – é um pouco meu. Quando começamos a série, eles meio que observam como você é como pessoa e escrevem o personagem de acordo com sua personalidade. Então, acho que a natureza sarcástica de Jo é em parte por causa de terem escrito o personagem para se alinhar comigo na vida real.

Como você descreveria seu processo e como ele evoluiu à medida que você passou de um papel para outro?

CAMILLA: Sou em parte uma atriz de métodos. Eu não necessariamente fico com o personagem o dia todo, mas definitivamente tiro do meu passado e minhas próprias experiências para dar vida as cenas e me ajudar a trazer emoção para fazê-las se sentirem reais e autênticas. Anteriormente, meu processo na verdade costumava ser meio que me afastar e me separar do personagem antes de uma cena. Mas agora, com Jo, penso no passado dela e depois misturo com o meu. É minha nona temporada no programa, então quase tenho uma taquigrafia de atuação com esse personagem, onde posso realmente entrar rapidamente em qualquer estado emocional em que Jo esteja – isso só vem de interpretá-la por tanto tempo.

Na memória recente, que é um momento em que você pode pensar onde fez isso; misture suas experiências com as do personagem.

CAMILLA: Acho que o episódio em que Jo conhece sua mãe pela primeira vez é um bom exemplo em que fiz isso de uma maneira muito intensa, porque minha própria mãe faleceu quando eu era mais jovem. Então, há esse elemento sentindo que estou perdendo minha mãe. Ela não esteve lá há tantos momentos monumentais na minha vida. E então Jo está experimentando essa dor, lamentando um relacionamento que ela nunca teve.

Se eu te perguntasse agora qual seria seu papel dos sonhos, qual seria?

CAMILLA: Eu interpretei Lara Croft nos jogos e acho que interpretar um papel de herói em ação algum dia seria meu papel dos sonhos, porque minha filha está tão interessada em super-heróis agora. Então ter como mostrar para ela alguma coisa em que eu chute bundas eu acho que seria meu trabalho dos sonhos agora. E se eu tivesse um papel em que eu pudesse voar, ela estaria ganha então eu amaria fazer isso por ela.

Você falou sobre como sempre quis atuar, mas também fez de tudo, desde cantar e dançar. Tão criativamente você tem paixões diferentes que gostaria de experimentar, que ainda não teve a chance de fazer?

CAMILLA: Eu não canto ou dancei há muito tempo, mas minha paixão por atuar veio de musicais, é o que eu cresci assistindo, então se eu pudesse voltar e fazer Broadway ou uma peça no West End, acho que seria incrível. Acho que me sentiria em casa porque cresci com isso.

O que você diria que foi o momento mais memorável ou surreal de sua carreira até agora e o que está de criativo na sua lista de desejos?

CAMILLA: O mais memorável é provavelmente Grey’s Anatomy. Eu fiz outras séries, mas não há nada parecido com a máquina que é da Grey. Eu não acho que algo como isso nunca mais aconteça. O fandom é apenas o fandom mais apaixonado que eu já experimentei. Toda temporada, acho que talvez percamos a audiência, mas estamos no ar há 17 temporadas e toda vez há uma enxurrada de apoio, pessoas que estão no programa há muitos anos, dizendo: ‘Meredith Grey é a razão pela qual sou médico’. Isso só torna essa experiência selvagem. É um relâmpago dentro de uma garrafa, acho que não haverá nada parecido novamente.

Em termos de uma lista de desejos, eu adoraria poder produzir meu próprio material um dia, basta pensar que essa seria uma oportunidade incrível e olho para outras pessoas fazendo isso como Margot Robbie e acho que é como o sonho final de poder ser criativo em todos os sentidos.

Criar e produzir uma série foi algo que você sempre quis fazer ou é algo que se desenvolveu à medida que trabalhou na indústria e conheceu pessoas que fizeram você perceber que não precisa ser nenhum dos dois ou você pode fazer os dois?

CAMILLA: Crescendo, não me ocorreu que eu pudesse fazer outras coisas como atriz. Eu só senti que fui contratado para fazer esse único trabalho. Mas então eu acho que aos meus vinte anos, comecei a ver pessoas como Reese Witherspoon meio que conseguem suas próprias empresas de produção e começam a produzir material e fiquei muito ciente de que você pode ter um pedaço maior da torta do que pensava que poderia. Percebi que você tem mais controle do que pensava, e então minha paixão pelo futuro – depois de Grey’s– é, tomar as rédeas e ser capaz de criar algo meu. Não posso dizer muito, mas, meu marido e eu absolutamente começamos a escrever algo, é definitivamente algo em que já estamos mergulhando, mas é um projeto para muito mais tarde.

Entrando na indústria como uma jovem atriz, você não sabia tudo o que uma atriz pode fazer, como pode ser emprenderadora para fazer todas essas coisas diferentes. Então, como alguém que agora passou por isso se você tivesse que dar um conselho ou incentivo a qualquer um que queira ser atriz, o que seria?

CAMILLA: Eu diria que não coloque limitações em si mesmo porque acho que senti que era como uma atriz, coloquei esse rótulo em mim mesma e senti que tinha que me encaixar naquela caixa. Agora, sinto que as mulheres estão chutando os lados da caixa e estão fazendo uma nova caixa, sem limitações. Então escreva seu filme material com amigos, use plataformas à sua disposição – Tiktok, Instagram ou YouTube- para levar seu material lá. Não se deixe encaixotar, coloque o poder de volta em suas mãos e alcance as pessoas.

Finalmente, uma pergunta que ninguém nunca te perguntou em uma entrevista que você gostaria que te perguntassem?

CAMILLA: “Qual é a minha bebida favorita?” Ninguém sabe qual é a minha bebida favorita! A resposta é bem específica, é um Flaming Cadillac Margarita.

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2021 > 1883 MAGAZINE
CLBR01.jpgCLBR02.jpgCLBR03.jpg




Foi divulgado ontem (8) uma entrevista concedida por Camilla ao site StyleCaster onde a atriz falou sobre seus trabalhos, vida pessoal, sua personagem em Grey’s Anatomy e muito mais. Confira abaixo:

Oito anos antes da première de Bridgerton, Camilla Luddington fez audição para o papel principal de outra série de época de Shonda Rhimes, chamada Gilded Lilys, um drama histórico nos anos de 1800 em Boston.
“Ficou entre eu e uma outra garota, e a outra garota ficou com o papel,” Luddington conta para StyleCaster.
A audição, no entanto, colocou Luddington no radar de Rhimes para um novo personagem na época em Grey’s Anatomy: Jo Wilson. O escritório de Rhimes entrou em contato com Luddington assim que ela havia terminado seu arco de seis episódios em True Blood, mas antes ela estava prestes a passar o fim de semana na Comic Con, em San Diego para promover os videogames Lara Croft. “A audição foi na sexta, e eu estava na Comic Con o dia todo, então eu estava tipo: “Ok, essa é uma oportunidade perdida, mas não posso fazer nada sobre isso”. ela lembra.

Enquanto estava na Comic-Con, a equipe de Luddington recebeu outra ligação do escritório de Rhimes, dizendo que o papel ainda não estava preenchido e se ela poderia fazer um teste na segunda-feira após a convenção. “Foram duas cenas muito simples,” diz Luddington. “Havia uma que era seduzir um médico, é claro, como se faz em Grey’s, e a outra era um diálogo médico.”

Luddington, que foi criada na Inglaterra e se mudou para os Estados Unidos quando adolescente, leu as cenas com sotaque inglês e americano. Dois dias depois, ela recebeu a ligação de que havia ficado com o papel e começaria a filmar na sexta-feira. “Foi um turbilhão selvagem de uma história para entrar no show,” ela diz.

Embora Luddington nunca tenha sido escalada para Gilded Lilys, ela esperaria ser considerada se Rhimes precisasse de uma atriz para interpretar uma “empregada em segundo plano” em Bridgerton. “Eu adoraria estar em Bridgerton! Não falei com Shonda. Se eu tivesse me deparado com ela, diria a ela que estou pronta para o meu espartilho”, diz ela. “Eu vi a série. Estou animada com a próxima temporada. Eu só estava lendo sobre o Duque não estar de volta. Tenho fortes sentimentos sobre isso. Mas estou animada para a próxima temporada. Se Shonda quiser que eu esteja nessa série, vou pegar um avião de volta para a Inglaterra e feliz por estar nele. Eu não li os livros, então não sei quais outros papéis precisam ser interpretados. Literalmente, eu seria uma empregada doméstica ao fundo varrendo se precisassem que eu fosse. Eu ficaria tão feliz.”

No entanto, até que esse chamado chegue, parece que Luddington está bem usando esfoliantes em vez de um espartilho em Grey’s Anatomy. À frente, Luddington conversou com o StyleCaster sobre como o enredo OB/GYN de Jo espelha sua própria jornada maternidade, o que o retorno de April Kepner significa para Jo e Jackson Avery, e por que ela espera que Grey’s Anatomy não termine com a 17 temporada.

Sobre a nova Jo na 17 temporada

“Teria sido diferente de qualquer maneira para Jo porque, obviamente, ela passou por um rompimento, mas a COVID virou tudo de cabeça para baixo. Parece uma série completamente diferente, para ser honesta, por causa da maneira como viemos trabalhar. Estamos sendo testados durante toda a semana. Nossos assentos estão a seis metros de distância. Eu sinto que esta é a primeira temporada em que não a vimos em um relacionamento. Mesmo na 9 temporada, ela estava namorando alguém—Chest Peckwell era seu apelido. Esta é sua primeira temporada, verdadeiramente única, mesmo que ela esteja fazendo sexo com Jackson Avery. O que eu gosto nesta temporada para ela é que esta é a primeira temporada em que ela está pensando sobre o que a faz feliz sozinha. Parte disso foi: eu quero sexo, o que é importante. A segunda parte é: estou mais feliz por ser cirurgião geral? É isso que eu quero fazer? E depois desviar-se para: ‘O OB é realmente a coisa certa para mim? Eu gosto de pensar nisso como a primeira temporada da Jo levando seu poder de volta e não sendo sobre mais ninguém além de si mesma.”

Sobre se Jo ainda está apaixonado por Alex

“Há episódios em que eu acho que sim e há episódios em que eu acho que ela ainda tem um desejo. A coisa mais difícil para ela e a coisa mais difícil em muitos rompimentos é que você está de luto pela perda do que achava que poderia ter sido. Há esse elemento de – e eu também imaginei para ela – que eles teriam bebês um dia e essa família ridícula. Jo achou que era isso para ela. A perda disso é realmente difícil. Juntamente com uma pandemia, você está sentindo a perda de até mesmo conhecer alguém novo. Ela tem aquela coisa bêbada onde está rindo de ter uma noite de encontro planejada, e tudo vai para a porcaria. Eu não acho que ela ainda esteja necessariamente apaixonada por Alex, mas ela ainda está trabalhando nisso.”

Se Jo e Jackson pudessem sair da zona de amigos

“Acho que agora eles são apenas amigos com benefícios. Lembro-me que no início da temporada realmente perguntei aos escritores: ‘O que está acontecendo aqui? O que devemos jogar?’ Eles estavam tipo, ‘Vocês estão fazendo sexo. Vocês são amigos fazendo sexo.’ É uma mensagem muito clara. É claro que, em Grey’s Anatomy, as coisas sempre podem mudar, mas agora, acho que Jo não precisa estar pulando em nada. Ela está apenas se divertindo com ele neste período sombrio em sua vida e no mundo. É bom para ela exatamente como é.”

Sobre como o retorno de April afeta Jo e Jackson

“Oh uau! Eu não acho que posso provocar nada, exceto que vai… como eu descreveria isso sem ser completamente demitida? Eu diria que isso põe as coisas em movimento. Isso é tudo o que posso dizer.”

Sobre como o enredo OB/GYN de Jo reflete sua própria jornada de maternidade

“Eu tenho minha filha—ela tem 4—e tenho meu filho. Ele é novo. Ele tem apenas 7 meses de idade. É estranho porque senti a mesma sensação que Jo sentiu. Aquela cena em que ela deu à luz o bebê. Eu tinha acabado de dar à luz ao meu filho não muito antes disso. Tenho uma memória muito clara de dar a luz na pandemia com uma máscara. Então, quando entrei na sala de OB para filmar naquela temporada, eu, como Camilla, estava animada. Eu era tipo, ‘Oh meu Deus! É quando o bebê nasce!’ Eu me conectei com esse enredo da mesma forma que ela. Sendo uma mãe nova e também jogando isso, tudo se reuniu como: ‘Sim! Bebês. Claro, bebês.’ Mas em um nível pessoal, estou muito cansada o tempo todo. Preciso de um pouco mais de corretivo pela manhã. É bom ter um paralelo acontecendo onde Jo está interessada em bebês e ela tem essa conexão com a bebê Luna, e eu também tenho meu novo bebê em casa.”

Nos finais falsos nos roteiros de Grey’s Anatomy

“[O retorno] fiquei muito surpresa com Derek. Eu não descobri sobre a noite em que foi ao ar. Eu sabia disso de antemão, mas sendo informada sobre isso, eu estava tipo: ‘Espere! O que estamos fazendo?’ É interessante porque todos os nossos roteiros nesta temporada são super, super mantidos sob segredo. Na verdade, até temos scripts que têm finais falsos para eles. Então eu realmente nem sabia que DeLuca ia morrer nesta temporada. Eu nem fui avisada sobre isso. Não recebemos a cabeça porque tudo estava tão secreto e ainda está. Para mim, em um nível de fã, essa foi a coisa mais chocante que li até agora esta temporada.

Descobri sobre isso lendo o roteiro na mesa de leitura. Me lembro de enviar mensagens de texto para as pessoas e ser tipo: ‘Isso não é… não… ele não está realmente… isso não está acontecendo agora.’ Normalmente, filmamos muito mais cenas juntos. Há cenas de grupo. Mas por causa do COVID, isso não acontece mais. Se eu tivesse tido a oportunidade de trabalhar mais com Giacomo nesta temporada, provavelmente teria sabido disso. Mas tudo foi mantido tão secreto.”

Sobre como ela ainda não sabe como Grey’s Anatomy vai acabar

“Eu sabia que muitos contratos de pessoas estavam acordados nesta temporada e sempre que isso acontece, você precisa de algumas coisas. Você precisa de uma coleta oficial dos estúdios e precisa que as pessoas voltem a assinar, então eu sabia que seria uma daquelas coisas em que parece diferente nesta temporada. Estamos chegando muito perto do nosso final, e ainda não sabemos. Isso parece muito, muito louco. Em um nível pessoal, eu adoraria ter outra temporada só para que possamos mostrar saindo do outro lado do COVID. Acho que seria ótimo estarmos no bar do Joe’s na próxima temporada e mostrar como é a vida depois do COVID. Mas essas decisões obviamente não me cabem, então eu só tenho que esperar com todos os outros para descobrir. Eu estava no trabalho ontem filmando e as pessoas ainda não fazem ideia. É uma grande coisa nesta temporada em que estamos todos dizendo: ‘Você sabe de alguma coisa? Você sabe o que está acontecendo?’ Geralmente não é tão secreto, mas toda essa temporada tem sido muito secreta. Geralmente temos alguma ideia do nosso final, mas nenhum de nós sabe. É um grande segredo.”




Finalmente os Luddstans venceram! No dia 29 de março,  Camilla Luddington compareceu ao programa da Kelly Clarkson titulado como “The Kelly Clarkson Show“, a atriz falou sobre a sua personagem Jo Wilson em Grey’s Anatomy, sobre sua vida pessoal e muito mais! Confira abaixo a entrevista legendada e as fotos promocionais:

PROGRAMAS DE TV E RÁDIO | TALK SHOWS AND RADIO STATIONS > 2021 > MARCH 29 | THE KELLY CLARKSON SHOW
CLBR002.jpgCLBR001.jpg




Nós queremos levar o melhor conteúdo á vocês, nossos seguidores e leitores. Com isso, estamos abrindo vagas para aqueles que desejam fazer parte do fã site brasileiro dedicado a atriz Camilla Luddington. Se você quer fazer parte da nossa equipe maravilhosa e ainda divulgar e levar notícias para os demais fãs, não perca essa oportunidade!

Os interessados deverão preencher a ficha abaixo e nos enviar em nossa DM no Twitter!

FICHA:

  • Nome:
  • Idade:
  • Twitter:
  • Cidade/Estado:
  • Nível de conhecimento da língua inglesa: (Básico, médio, avançado):
  • Participa de outro fã-site? Se sim, qual e qual área?
  • Porque gostaria de entrar na equipe do CLBR? Porque podemos confiar em você?

Legender – Responsável por legendar novos e antigos vídeos.
Instagram – Responsável por atualizar nosso Instagram com fotos, edits, notícias e etc.
Facebook  – Responsável por atualizar nosso Facebook com fotos, edits, notícias e etc.
Tradutor – Responsável por traduzir vídeos , entrevistas para revistas e etc.

Requisitos para Legender: (Duas vagas)
Conhecimento em editor de vídeo;
Nível intermediário em língua portuguesa e inglesa;
Ter tempo livre para legendar.

Requisitos para Intagram: (Uma vagas)
Saber editar fotos para entreter os seguidores;
Nível intermediário em língua portuguesa e inglesa;
Ter tempo livre.

Requisitos para Facebook: (Uma vagas)
Nível intermediário em língua portuguesa e inglesa;
Ter tempo livre para pesquisar informações.

Requisitos para Tradutor: (Duas vagas)
Nível intermediário em língua portuguesa e inglesa;
Ter tempo livre para traduzir.

Nós precisamos de pessoas que admire, aprecie e acompanhe a Camilla. E o mais importante, que tenha tempo livre e realmente esteja disposto a ajudar a trazer o melhor conteúdo da nossa atriz favorita! Não haverá data limite para enviarem as fichas.

É necessário recordar que o ajudar no site é um trabalho voluntário, portanto, não haverá remuneração e que o site é focado na divulgação do trabalho da Camilla e suporte a mesma.

Não há uma data final para se inscrever, conforme formos gostando dos inscritos, iremos entrando em contato e atualizando o post, então é importante que vocês fiquem atentos em nossas redes sociais.




layout desenvolvido por lannie d. - Camilla Luddington Brasil